ISO - Entendendo suas propriedades

In: Fotografia Comment: 0 Hit: 1163

DEFINIÇÕES E PADRONIZAÇÕES


Além de ser uma função nas câmeras fotográficas digitais, era antes de mais nada uma das propriedades mais importantes nos antigos filmes (película). O ISO, acrônimo para International Standards Organizations, ou seja, é uma junção de órgãos e normativas globais que determinam padrões para a indústria e em vários processos de fabricação ou aferição de medidas. 

Em nosso universo fotográfico o ISO tem um papel fundamental no tocante a qualidade da imagem, bem como sobre a sua capacidade de leitura da luz em uma cena. O antigo ASA, um acrônimo para American Standards Association, refere-se a uma escala antiquada para velocidades de filme concebido pela Kodak durante a década de 1940. A diferença entre os dois se dá quanto a escala ter sido padronizada em âmbito internacional, além de que o ISO passa a ter uma medição incluindo as dimensões linear e logarítmica. Demais padrões também foram utilizados em décadas passadas, tais como o alemão DIN, do instituto americano ANSI e outros mais. Ao olharmos para as câmeras mais antigas podemos ver esse mecanismo embutido.



ISO



DIFERENÇAS DE QUALIDADE NA CALIBRAGEM DE ISO.


O ISO leva em conta a sua velocidade de leitura, podendo então ser lento ou rápido. Para entender o mecanismo, quanto menor for o número ISO configurado em nossa câmera, mais lento ele será. Podemos fazer uma analogia direta com a velocidade de um carro por exemplo, quanto maior o giro do motor, mais rápido o carro andará. Neste caso, quanto maior o número ISO, mais rápido será sua leitura da cena, portanto é ideal para ambientes de pouca luz, devido sua eficiência na velocidade de registro, entretanto gerará uma qualidade precária. A escolha ideal é sempre aquela a qual se pondera os pontos importantes e criamos um certo equilíbrio entre estes 3 pilares:

LUZ DISPONÍVEL X MÁXIMA QUALIDADE X MOVIMENTO DA CENA

Uma velocidade de ISO mais alta indica que a película ou sensor digital requer menos exposição à luz, ou seja, uma exposição de tempo mais curto para capturar a imagem devido ser mais sensível à luz. Por outro lado, um menor número ISO significa que o filme/sensor é lento (menos sensível), portanto precisa de exposição por tempo mais longo para capturar a mesma imagem.

As escalas de velocidade do filme ASA e ISO são importantes porque determinam diretamente a qualidade da foto: a granulação de uma foto acabada ou ruído no caso da fotografia digital. 

Imagens altamente definidas e detalhadas, tais como retratos são geralmente tomadas em ISO lento. Em contraste, as cenas que têm iluminação limitada ou estão em movimento geralmente devem ser tomadas com ISO rápido que pode capturar uma imagem com exposição mínima de luz, o que por sua vez permite regulagem de obturador por um tempo curto de exposição e por conseguinte capturar/congelar o movimento.

Há de se pensar não apenas em luz e qualidade, mas é imprescindível colocar nessa equação a necessidade de lidar também com o movimento do assunto, bem como o movimento (trepidação da lente) ao realizar a captura com câmera nas mãos. Neste caso, o ISO também é um fator preponderante no resultado. Para uso de teleobjetivas apoiadas em monopé ou com a câmera na mão, o ISO deve ser alto (rápido), para permitir tempos de exposição menores a fim de congelar o movimento, caso desejado.  

Para compor tecnicamente em Fotografia, utilizamos a Tríade Diafragma (lente) X Obturador (Câmera) X ISO (Câmera).
A combinação perfeitamente equilibrada destes 3 fatores, resultará na imagem mais adequada para transmitir a linguagem artística pretendida pelo Fotógrafo.


ISO





Comments

Leave your comment

Fone:

 PY (59561) 511-046

Newsletter

Receba nossas novidades